Por que é importante medir o ROI do sistema jurídico da sua empresa?

Quem trabalha na área do Direito fala muito em sistema jurídico, um conjunto de normas e leis. Mas o termo não significa apenas isso. Sistema jurídico também pode ser um software especializado para o sistema jurídico, com recursos e funcionalidades que ajudam na rotina profissional de advogados em escritórios de advocacia e gerentes de departamentos de empresas.

O fato é que, além do conhecimento técnico, a tecnologia é hoje indispensável no mercado jurídico. Um dos maiores benefícios de um sistema para o setor jurídico é a automatização da gestão de contratos. Um software ajuda a prevenir diversas falhas nessa área. Por exemplo, a perda de prazos, que causa grandes prejuízos. Impasses na celebração de contratos e o desperdício de tempo devido a processos burocráticos.

Ele melhora o fluxo de trabalho dos setores, aumenta a produtividade das equipes e garante agilidade na gestão de informações e dados da empresa. Contudo, como averiguar os resultados trazidos pelo sistema contratado, a fim de comprovar o retorno do investimento realizado, bem como o aumento da eficiência e outras melhorias?

Se você já tem ou pretende usar um software, saiba que é importante calcular o Retorno Sobre Investimento (ROI) para saber se a ferramenta está trazendo os resultados desejados. 

A seguir, explicaremos tudo sobre isso: o que é, como calcular e por que você deve medir o ROI do seu sistema para o setor jurídico. Confira!

O que é ROI?

A sigla ROI significa Return On Investiment e seu conceito foi difundido nos anos 90, sobretudo na área de TI. Basicamente, trata-se de uma taxa que indica o ganho ou a perda de dinheiro oriundo dos resultados de um investimento em comparação com a quantidade de dinheiro que foi investido.

Ou seja, o ROI do sistema jurídico mostra o quanto a empresa ou o escritório de advocacia pode ganhar ou perder com o investimento feito no software para sua área. Em outros termos, a fórmula mais básica seria dividir o retorno obtido em um investimento (lucro – custo) pelo montante investido (custo).

Vale ressaltar que com o ROI, além dos resultados de uma ferramenta, o profissional pode saber se suas práticas e iniciativas estão sendo efetivas para o departamento da empresa ou para o escritório.

Como você planeja, por exemplo, suas metas e avalia os resultados alcançados? Você sabe se está aproveitando as tecnologias da sua área da melhor forma? Ou consegue apontar os pontos em que seu departamento precisa melhorar? Daí vem a importância de medir o seu ROI.

Por que é importante medir o ROI de um sistema jurídico?

Calcular o ROI é fundamental para saber se o retorno está, de fato, dentro das expectativas. Logo, as métricas do ROI ajudam a justificar a implementação de um sistema para o jurídico. Ou aprovar novos projetos ou ferramentas e comprovar que um investimento vale a pena! 

E, além de permitir avaliar os resultados reais de uma nova ferramenta, o ROI também ajuda a identificar melhorias e otimizações para recursos já utilizados na empresa. Assim, é possível alinhar melhor as práticas adotadas aos objetivos e metas organizacionais, melhorando os resultados.

Ao medir o ROI, o retorno obtido pode representar um aumento nos lucros da empresa ou uma redução de custos. Sendo assim, é importante medir os resultados considerando a relação investimento vs. economia.

No caso do sistema jurídico, você precisará avaliar os gastos com implementação e manutenção do software. Bem como a economia de tempo e dinheiro, a melhoria em produtividade e performance e os benefícios que a gestão da área jurídica ganhará com a ferramenta.

Como calcular o ROI de um sistema jurídico?

Para calcular o ROI de um sistema jurídico, você precisará levar em conta algumas variáveis, tais como:

O valor do investimento:

  • Custo com implementação, licença de uso e manutenção;
  • Suporte incluso ou terceirizado;
  • Treinamento para equipe e curva de aprendizado;
  • Adaptação da infraestrutura local;
  • Necessidade de demais recursos.

A economia com o sistema jurídico:

  • Otimização das horas de trabalho do advogado ou do gestor de outro departamento;
  • Economia de horas gastas nas etapas que envolvem cliente, fornecedor, outros setores da empresa e demais pessoas envolvidas;
  • Redução de tarefas repetitivas e burocráticas;
  • Economia de tempo com elaboração de contratos e outros documentos jurídicos;
  • Diminuição de gastos com papelada, impressões, cartório, etc.;
  • Redução de multas, juros ou gastos desnecessários por meio de mais controle de prazos;
  • Ganhos em produtividade, organização e outros benefícios para a gestão jurídica.

Vale ressaltar que a análise do ROI é importante independentemente da fase do projeto ou de quanto tempo o sistema jurídico está sendo utilizado. Considerando as variáveis necessárias, a conta básica será: ROI = (lucro ou economia – custo) / custo.

Calcular o ROI de um sistema jurídico garante um embasamento mais objetivo sobre as potencialidades e os resultados da ferramenta. Com números precisos, você comprova a redução de gastos, o aumento da eficiência e outras melhorias trazidas pelo investimento.

Agora que já sabe calcular o ROI, quer otimizar sua gestão? Então, saiba o que levar em conta ao escolher um software jurídico e ganhe mais eficiência no seu dia a dia!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *