Saiba quais são os diferentes tipos de benchmarking

Você conhece os tipos de benchmarking que existem? O benchmarking pode ser definido como um método pelo qual empresas comparam seus produtos, serviços e processos em busca de aprimorarem-se e tornarem-se mais competitivas no mercado.

Trata-se de uma prática que ganha cada vez mais popularidade no Brasil devido aos benefícios que proporciona para as organizações. Afinal de contas, qual empresa não quer se tornar melhor e mais competitiva, não é mesmo?

Negócios que adotam essa estratégia estão um passo à frente dos seus concorrentes, pois se mantêm antenados às práticas mais modernas do mercado e, assim, conseguem conquistar clientes e alcançar maior eficiência. Descubra a seguir quais são os diferentes tipos de benchmarking que uma empresa pode adotar!

Benchmarking competitivo

Esta primeira modalidade é a mais desafiadora de ser praticada, mas proporciona grandes benefícios. Por meio dela, sua empresa compara seus próprios métodos de gestão com as concorrentes com objetivo de aprimorar-se e manter-se atualizada quanto às práticas do mercado.

Esse modelo de benchmarking deve sempre ser adotado dentro de padrões éticos adequados. Uma dificuldade em praticá-lo é o fato de que toda empresa zela por manter em sigilo suas práticas competitivas, já que elas representam diferenciais importantes. Normalmente as empresas utilizam-se de consultorias externas ou estratégias como a do “cliente oculto” para praticar o benchmarking competitivo.

Benchmarking com cooperação

Seu resultado por ser semelhante ao do benchmarking competitivo, mas é obtido por meio de uma cooperação entre duas organizações que, nesse caso, são chamadas de benchmark partners. Cabe ressaltar também que essas parceiras não são necessariamente concorrentes, podendo atuar em mercados diferentes.

A grande vantagem é que, por cooperarem entre si, há bastante liberdade para que os processos sejam detalhados: as empresas podem estudar o volume de negócios e estratégias que levaram a parceira a alcançar notoriedade e prestígio em determinada área.

Benchmarking interno

Quando uma empresa compara processos entre suas diferentes unidades, ela está adotando o benchmarking interno. A ideia é buscar um aprimoramento por meio da análise de práticas que nascem dentro da própria organização e levam algumas filiais ou diretorias a alcançarem resultados melhores que outras.

O grande benefício do benchmarking interno é que ele é relativamente fácil de ser aplicado e contribui para a padronização dos processos da organização. Em outras palavras, ele permite que todas as unidades atuem de maneira semelhante.

Benchmarking funcional

Na modalidade funcional do benchmarking, uma organização estuda uma função específica de outras empresas independentemente da área de atuação, como, por exemplo, a entrega de produtos ou o atendimento aos clientes. Assim, a empresa consegue aprender as melhores estratégias com empresas de outros mercados.

Essa análise abre um amplo leque de possibilidades. Utilizando-se do benchmarking funcional, é possível que uma empresa identifique e adote tendências na área de TI, por exemplo. Isso, sem dúvidas, garante grande vantagem competitiva!

Benchmarking genérico

Essa modalidade apresenta semelhanças em relação à anterior, mas, enquanto o benchmarking funcional é focado em uma função específica da empresa, o genérico é — como o nome sugere — mais amplo.

Assim como o benchmarking funcional, ele também consiste na comparação com outras empresas, independentemente de sua área de atuação, mas está focado na análise dos diversos processos que podem ser comparáveis àqueles da empresa interessada, e, por isso, é uma das modalidades mais adotadas atualmente.

Seja qual for a modalidade, os tipos de benchmarking podem fornecer informações muito valiosas para sua empresa, desde que seja um processo contínuo e não uma prática esporádica. O objetivo não é copiar processos de terceiros, mas ampliar seus horizontes e, assim, possibilitar que sua empresa desenvolva práticas cada vez melhores e mais competitivas.

Você não precisa escolher apenas uma estratégia: vários tipos de benchmarking podem ser praticados de forma simultânea e com o apoio de soluções tecnológicas. O importante é reconhecer que essa é uma prática que requer disciplina e persistência, sem nunca deixar de lado a ética e o respeito aos concorrentes.

Você já teve alguma experiência com benchmarking? Compartilhe conosco nos comentários!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *