Saiba como fazer o monitoramento de TI na sua empresa

A sua empresa ainda não encontrou meios eficientes de fazer o monitoramento de TI? Saiba que há muitas outras — até mesmo grandes corporações — que também se encontram nesse barco. Dentre os maiores desafios para conseguir excelência nos processos que envolvam a TI, a complexidade dos ambientes, assim como dos aplicativos e da infraestrutura, são obstáculos recorrentes.

De acordo com um estudo elaborado pela Ipswitch, 66% dos profissionais de TI apontam que a crescente complexidade dos ambientes de TI tem dificultado a realização de suas tarefas, gerando gasto de tempo excessivo e ainda mais pressão a ser administrada pelos times técnicos.

Nos últimos anos, o volume de dispositivos e aplicações que consomem os recursos da infraestrutura de TI cresceu de forma exponencial e, na maioria dos casos, desproporcional aos recursos de rede disponíveis. Essa mudança de cenário fez com que ambientes, antes de ampla capacidade, se tornassem limitados e obsoletos de forma muito rápida.

Isso resultou na aparição de gargalos que antes eram inexistentes e até impensáveis. Por conta disso, cada vez mais as equipes têm se esforçado para encontrar soluções de monitoramento e gerenciamento mais flexíveis, fáceis de utilizar e viáveis para aquisição.

Diante de todos esses desafios a serem enfrentados, como a sua empresa pode começar a adotar o monitoramento de TI como estratégia para atingir a excelência? Para responder a essa questão, apresentaremos algumas medidas de monitoramento que a sua empresa pode começar a implementar, e assim começar a garantir maior estabilidade de serviço.

Estabeleça e classifique métricas

As métricas devem ser o primeiro passo ao planejar o monitoramento de TI na sua empresa. Porém, como os processos são complexos e vão muito além da infraestrutura, as métricas não devem se limitar à parte técnica, mas sim a todos os diferentes tipos de pontos cruciais.

Ou seja, procure classificar as métricas para que se obtenha análises mais precisas. Abaixo veremos dois exemplos de métricas que podem ser adotadas: a métrica de trabalho e de recurso.

Estabelecendo métricas voltadas para a produtividade do sistema (work metrics), a “saúde” do sistema é colocada em foco. Isso significa direcionar a atenção para o seu desempenho, analisando, por exemplo, a carga de trabalho pela qual o sistema é levado a cada segundo, quantas tarefas foram executadas com sucesso, número de erros e, por fim, o nível de performance do sistema ao realizar cada trabalho.

Já as métricas de recurso (resource metrics) são uteis para realizar diagnósticos e investigar problemas. Uma possível queda do sistema pode ser explicada por um relatório de monitoramento, que, por sua vez, é formado por informações como porcentagem de tempo em que a infraestrutura está em uso, a média de capacidade utilizada e um registro de erros obscuros — que muitas vezes pode passar despercebido.

Crie um gerenciamento de configurações

Erros de configuração podem acarretar em atrasos de trabalho e exposição de dados sigilosos, fazendo com que a empresa perca muito dinheiro e com que o departamento de TI leve a culpa — gerando estresse entre os colaboradores.

Para se ter ideia da importância em gerenciar as configurações, quando um novo processo implica em alterações nas regras do firewall, por exemplo, um simples erro nessas modificações pode bloquear uma aplicação crítica.

Com o gerenciamento de configurações implementado, as chances de haver sucesso a cada mudança ou instalação em dispositivos que influenciam no funcionamento do sistema são bem maiores, pois o administrador terá condições verificar se as mudanças feitas podem ou não resultar em conflitos.

Além disso, o administrador poderá monitorar que tipo de modificação está sendo executada — e se a execução irá gerar algum conflito —, impedindo, também, que usuários não autorizados façam instalações ou alterações na infraestrutura, garantindo maior proteção aos dados sigilosos da empresa.

Use a documentação para criar um padrão de como fazer monitoramento de TI

Documentar tudo o que ocorre dentro do departamento de TI é muito importante — por mais que seja um método relativamente trabalhoso de fazer o monitoramento de TI. No processo de documentação, é feito um levantamento referente às configurações de hardware e software (e suas quantidades), processos, informações sobre as configurações de rede e tudo mais relacionado aos negócios da empresa que passe pelo TI.

Outro fator da documentação a ser considerado é: nem tudo que acontece é relevante para todos os momentos, mas sim para certas ocasiões — geralmente quando um determinado problema acontece. Sendo assim, quando todas as informações são registradas em documentos, pode-se assegurar que nada cairá no esquecimento e toda informação que for necessária poderá ser acessada a qualquer instante.

Bônus: Guia completo para implantar um Service Desk na sua empresa

Utilize boas ferramentas para monitoramento

Existem diversas ferramentas que auxiliam no monitoramento de TI disponíveis no mercado. Entretanto, boa parte dessas soluções são consideradas pouco flexíveis e um tanto restritas quanto as suas funcionalidades.

Com isso, a opção por softwares Open Source se torna mais viável, tendo em vista a possibilidade de customizações disponíveis.

Obviamente, a implantação dessas soluções exige um conhecimento mais aprofundado dessas plataformas, bem como das rotinas de monitoramento. Nesse caso, é interessante contar com um parceiro que auxilie na implantação e na gestão dos serviços de monitoramento, tornando a atuação da equipe interna mais estratégica do que operacional.

Nesse cenário, é possível que a equipe interna dedique-se mais a testes de disponibilidade, estratégias de expansão e análise dos dados oriundos do sistema de monitoramento, identificando gargalos e otimizando processos internos.

Use os dados coletados para gerar melhorias

Para finalizar, outro grande propósito em implantar as mais diversas “boas práticas” de como fazer o monitoramento de TI é a gestão de melhorias. Ao contar com uma equipe devidamente qualificada, que tenha a seu dispor informações de alta relevância, será natural o aperfeiçoamento dos serviços de TI como um todo, pois as melhorias poderão ser feitas de forma contínua.

Esperamos que nosso artigo tenha sido útil para o seu aprendizado! Caso tenha ficado com dúvidas ou queira enriquecer nosso conteúdo com mais dicas, não deixe de registrar seu comentário!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *