Entenda o papel da tecnologia para a gestão de perdas

Trabalhar para que a empresa gere lucro é só um dos pilares que sustentam as operações. Mais do que isso, é preciso avaliar as perdas, checar a qualidade dos processos e identificar eventuais falhas que podem impedir o negócio de lucrar e crescer ainda mais.

Nesse contexto, a chamada gestão de perdas deve compor a rotina da organização. Esse conceito é o responsável por direcionar uma série de recursos e atividades para a identificação e a correção de inconsistências que desperdiçam insumos, tempo e causam prejuízos.

Quer saber como executar uma boa gestão de perdas? Então acompanhe este post e descubra como a tecnologia pode ajudá-lo nessa importante tarefa.

De que perdas estamos falando?

Dentro da rotina de uma empresa, muitas podem ser as perdas. Desde a aquisição de matéria-prima até a disponibilização ao consumidor final, existem diferentes etapas que, quando mal executadas, podem interferir na qualidade das entregas. Vejamos:

  • Perdas comerciais: ocorrem quando o item não está disponível para a comercialização, como embalagens impróprias, avarias, erro na reposição de estoques, atraso no fornecimento, etc;
  • Perdas administrativas: ocasionadas por falhas no gerenciamento interno da empresa e seus processos. Aqui, entram o desperdício de insumos, a má gestão de pessoal e estoque, entre outros pontos;
  • Perdas de produtividade: são geradas pela má execução e controle dos processos, como retrabalho, lentidão, erros operacionais, ausência de treinamento das equipes etc;
  • Perdas financeiras: representam os prejuízos com inadimplência, descontrole financeiro, fraudes, multas, ineficiência de métodos de pagamento etc.

Como a tecnologia pode melhorar a gestão de perdas?

O ponto central das otimizações trazidas pela tecnologia diz respeito ao controle das informações e processos. Hoje, por meio de sistemas informatizados e integrados, gestores têm todos os dados que necessitam para controlar as etapas de produção da empresa.

Desse modo, há melhora na comunicação, identificação de gargalos, erros operacionais e pontos de atenção acontecem de maneira mais profunda e sistematizada, reduzindo o tempo de resposta com a solução necessária para o problema.

Nesse contexto, equipamentos, softwares personalizados, metodologias e outras soluções ajudam a reverter o cenário de perdas. Veja alguns exemplos a seguir.

Sistemas de gestão

Esse tipo de sistema centraliza a gestão da empresa, dando total visibilidade dos processos àqueles que os gerenciam. Assim, a qualidade das entregas passa a ser acompanhada em um único local, mas com um alcance global do negócio.

Atualmente, já se fala bastante em ERP, WMS, TMS e muitos outros sistemas focados em performance gerencial do negócio. Todos eles auxiliam em pontos essenciais, como produção, estoque, finanças, pessoal e até mesmo relacionamento com o cliente.

Além disso, é possível adotar um diferencial estratégico bastante relevante: sistemas personalizados 100% adaptados à realidade da empresa, que trabalham com as informações mais úteis para otimizar operações e gerar uma experiência de sucesso.

Automação

A automação é, de longe, uma das principais aliadas da gestão empresarial. De igual maneira, também o é da gestão de perdas. Hoje, como grande parte da cadeia produtiva das empresas recebe apoio da computação e de sistemas automatizados, toda e qualquer alteração que possa representar algum tipo de perda é facilmente identificada.

Nesse ponto, metodologias que privilegiam a excelência operacional, como o “just in time”, têm terreno fértil em ambientes informatizados. Nesse sentido, recursos, como o MRP (Material Requeriment Planning), também podem ser utilizados com mais eficiência, assim como o CIM (Computação Integrada à Manufatura).

Conclusão

A gestão de perdas é um dos braços da gestão empresarial que mais tem relação com a lucratividade e a eficiência operacional da organização. Negligenciar essa importante medida é, sem dúvida, perder a oportunidade de melhorar os processos do negócio e de torná-lo ainda mais rentável e competitivo.

Gostou deste post e quer seguir se informando mais? Confira também nosso artigo sobre gestão da informação e aprenda a colocá-la em prática na sua empresa!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *