OOA (Object Oriented Analysis – Análise Orientada a objetos)

Conceitos:

– Objetos = Num sistema de software objetos são agentes que agem interligados entre si, onde cada objeto realiza tarefas específicas e, através dessa interação, uma tarefa computacional é realizada.
– UML (Unified Modeling Language ou Linguagem de Modelagem Unificada) = Linguagem padrão de diagramação, onde se visualizam os resultados da análise e do projeto.

A Análise Orientada a Objetos (OOA) é um processo de desenvolvimento de sistemas que utiliza o conceito de objetos que interagem entre si e, através dessa interação, realizam tarefas computacionais.

O ponto de partida para a OOA é criar um modelo descritivo contendo informações do projeto. Podemos chamar este artefato de proposta técnica, já que é ela que vai conter detalhes do problema a ser solucionado, objetivo do projeto, casos de uso, requisitos funcionais e não funcionais, as atividades do sistema e soluções propostas.

Utilizando-se de padrões da UML, os requisitos do sistema são especificados, construindo artefatos necessários para documentação ao nível desejado.

Durante todo o ciclo de vida do desenvolvimento (análise e programação), são gerados alguns diagramas que representam os objetos de análise, sendo eles: diagrama de caso de uso, de classe, de objeto, de componente, de implantação, de atividade, de estado, de colaboração e de seqüência.

A imagem abaixo representa os diversos tipos de diagramas que podem ser elaborados durante todo o desenvolvimento do sistema:

Os casos de uso especificam o comportamento do sistema em partes, ou seja, o conjunto de cenários onde, cada cenário possui uma seqüencia de passos que descreve o comportamento e interação entre os atores e o sistema.

A análise envolve o detalhamento das entidades através de diagrama de classes que é uma representação da estrutura e relação das classes que servem de modelo para os objetos.

Cada regra é transformada em um elemento e este poderá ser reutilizado em vários cenários e casos de uso atendendo assim, umas das características da orientação a objetos que é a reusabilidade.

Todos os elementos/objetos são associados entre si facilitando a rastreabilidade e com isto, quando um elemento é alterado, é fácil identificar todos os casos de usos e cenários que serão impactados e deverão ser considerados no projeto.

 

Fontes:
http://blogdosanalistas.files.wordpress.com/2010/12/uml.jpg
http://ahinfo.net.br/parse/wp-content/uploads/2010/08/uml3-e1282925886685.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-BPSQBfBGvYY/TkVb4ma09zI/AAAAAAAAAWM/yKOIJegn7lo/s1600/420px-UML_Diagrams.jpg

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *