Entenda como otimizar sua logística de distribuição com a TI

Atentar-se à logística de distribuição, adequar equipamentos e promover uma mudança da cultura organizacional são fatores imprescindíveis para as empresas adquirirem vantagens competitivas em meio a todo avanço da transformação digital.

Clientes estão mais exigentes: esperam pela oferta de experiências de compra ou serviços personalizados, pontualidade nas entregas e responsabilidade socioambiental por parte das organizações.

Ao mesmo tempo, surgem tendências associadas a essas mudanças comportamentais e à implementação de conceitos tecnológicos como Internet das Coisas (IoT), tecnologia RFID, Big Data Analytics e Business Intelligence.

Em meio a tantas mudanças, empresas precisam iniciar um processo em que a logística de distribuição é otimizada com o uso eficiente da tecnologia da informação (TI). Confira agora o que selecionamos para tornar sua logística de distribuição mais eficaz:

Tecnologias para logística de distribuição

ERP (Enterprise Resource Planning) e a gestão de estoques

O excesso de oferta no ambiente competitivo em que vivemos impossibilita prever a real demanda dos clientes pelas empresas, mesmo depois da própria internet facilitar a criação de perfis que determinam um padrão comportamental de compra.

Para calcular estoque mínimo, controlar entrada e saída de insumos, realizar processos de armazenagem e movimentação de estoque baseado em LIFO (last in, first out) ou FIFO (first in, first out), reduzir custos, e outros processos logísticos, é importante gerar e monitorar dados e informações. Esses dados devem possibilitar o Business Intelligence por meio do uso de sistemas e ferramentas adaptáveis a ele, como leitores de códigos de barra e de QR code, por exemplo.

Veículos automatizados ou AGVs (Automated Guided Vehicle)

Possibilitam a movimentação do estoque em centros de distribuição (CD) por caminhos de coordenadas predefinidas, sem o auxílio de um operador.

Estocagem automática ou AS/SR (Automated Storage / Retrieval System)

Combinação de equipamentos que movimentam itens estocados, como o transelevador, por exemplo, que separa os pedidos e os envia à expedição automaticamente.

Inteligência artificial

Robôs que podem realizar operações de alto risco, de grande volume e repetição de processos.

Equipamentos de gestão de transporte

Para haver uma gestão da logística de distribuição eficiente é preciso realizar o monitoramento da entrega em tempo real: do uso da tecnologia RFID (Radio Frequency Identification) que utiliza sinais de rádio para transmitir dados sem necessariamente manter um campo visual, até o recebimento do mesmo pelo cliente ao assinar eletronicamente ao entregador.

Internet das Coisas (IoT) e monitoramento mobile

O conceito de IoT será aplicado em processos de máquina a máquina (M2M) conectados à internet, que monitoram desde a aquisição da matéria-prima até a entrega de resultado ao cliente.

Será possível, por exemplo, que o sistema de uma indústria identifique o estoque limite e solicite automaticamente uma requisição de compra ao software do fornecedor. Este, por sua vez, escolhe a melhor transportadora e solicita a coleta da mercadoria. Já carregado, o caminhão tem rota determinada por GPS, que aponta acidentes em tempo real e apresenta rotas alternativas para o prosseguimento da viagem.

Todo esse processo é monitorado por smartphones e outros dispositivos que processam a informação e transmitem-na ao sistema da empresa por Cloud Computing.

Drones

A prática da entrega de encomendas de pequeno porte solucionaria problemas de atraso, como engarrafamento no trânsito e falta de acessibilidade em regiões de infraestrutura prejudicada.

Mesmo com toda essa tecnologia, a eficiência do processo logístico pode ser comprometida por questões legais e de infraestrutura. Será um desafio adequar drones aos padrões dos sistemas de aviação e manter sua fiscalização no tráfego aéreo.

Para que a otimização da logística de distribuição seja alcançada, investimentos deverão ser feitos e a formação de profissionais capacitados precisará ser uma constante nas empresas para o correto manuseio dessas novas tecnologias.

Gostou do artigo? Então saiba mais sobre a gestão de qualidade em TI e como aplicá-la nos projetos da sua empresa. Boa leitura!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *