Indústria 4.0: a sua empresa está realmente preparada?

O advento da Indústria 4.0 está associado ao avanço de tecnologias como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial, impressão 3D, cloud computing, Big Data Analytics, Blockchain, estruturas avançadas de rede e conexão de dados.

Ele consiste no modo em como vivemos e transformamos a atividade econômica nos dias atuais. Apesar de ser uma questão tecnológica, a Indústria 4.0 possibilita oferecer modelos de negócios inovadores e experiências diferenciadas em detrimento dos antigos padrões de consumo.

O conceito engloba, ainda, processos de produção mais eficientes e independentes, em ambientes onde a alta competitividade obrigará as empresas a se tornarem mais dinâmicas e agressivas.

Mas diante desta revolução, sua empresa está preparada? O objetivo deste texto é salientar a importância da estrutura do TI da sua empresa se reinventar e acompanhar a evolução da Quarta Revolução Industrial. Confira!

A adaptação das empresas à Indústria 4.0.

Adaptar as empresas requer investimento em infraestrutura e em pessoas.

Em uma pesquisa divulgada pela FIESP, estima-se que a escassez mundial de mão de obra qualificada chegará em mais de 200 milhões de trabalhadores nos próximos 20 anos.

Tarefas repetitivas serão substituídas pelas estratégicas, e a expectativa é que sejam criados 960 mil postos de trabalho nas áreas de TI e de desenvolvimento de softwares.

Neste contexto, é preciso promover a integração de processos por meio de uma rede de sistemas de produção flexíveis às variações de demanda, reconfiguráveis em tempo real e adaptáveis à disponibilidade de recursos.

Essa modularidade deve permitir que a empresa seja capaz de aumentar sua produtividade por meio dos seguintes elementos:

  • Processos enxutos, ou lean manufacturing;
  • Green BPM (Business Process Management) ou uso eficiente de recursos;
  • Máquinas mais eficazes;
  • Mão de obra qualificada;

Tudo isso possibilita lidar com as customizações exigidas por clientes cada vez mais exigentes e mercados altamente competitivos.

Os princípios da Indústria 4.0

Operações ágeis e em tempo real

Com a aquisição e o tratamento de dados de forma instantânea, por meio de softwares que permitirão maior agilidade na tomada de decisão.

Grande volume de informação

Possibilitado pelo Big Data, que consiste na captura, na análise e no gerenciamento de dados armazenados em nuvem ou memória. Tudo isso por meio de modelos de conexão, sensores e compartilhamento das informações.

Maior controle e monitoramento

O gerenciamento é beneficiado pelas simulações. Da mesma forma, a rastreabilidade e o monitoramento remoto de todos os processos são feitos por meio de sensores, como a tecnologia RFID.

Automação total dos processos

É o princípio em que as máquinas receberão comandos remotos e trabalharão de forma descentralizada, a fim de garantir eficiência máxima do processo produtivo.

Flexibilidade

Permite produção de acordo com a demanda e melhor desempenho das máquinas, que podem ser reprogramadas facilmente.

Desafios da Indústria 4.0.

Um dos principais desafios para o sucesso dessa mudança está na segurança da informação.

Segundo dados publicados pela Convergência Digital, em 2016 foram contabilizados mais de 7,5 milhões de ataques DDoS (Distribuited Denial of Service).

Esse fato reforça a importância de ações que inibam vulnerabilidades. São principalmente as que dizem respeito ao uso de Firewall, ferramentas de endpoint, políticas de restrição ao acesso à informação e startup de máquinas.

Tais elementos, quando associados, minimizam o risco de incidentes como intrusões, evasão de dados, ociosidade e falhas operacionais.

É importante, ainda, manter o apoio de TI disponível para garantir que os processos continuem eficientes e as ferramentas tecnológicas em constante funcionamento, já que esses são os principais agentes nessa transformação.

A perspectiva do Brasil nesse cenário

O Brasil tem perfil para se tornar gerador de inovação:

Em uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, a Taxa de Empreendedorismo Inicial (TEA) do país está na 10ª colocação geral dos 65 países “impulsionados por inovação”.

Para que a adaptação seja efetiva, porém, algumas condições precisam ser atendidas. Por exemplo: a disponibilidade de um ambiente de negócios propício, o acesso aos meios de investimento e a geração de tecnologia inovadora.

Embora problemas de infraestrutura, qualidade da educação e lacunas na legislação sejam obstáculos de diversos projetos, o governo pretende investir mais em tecnologia para que a indústria brasileira caminhe em direção à Indústria 4.0.

De fato, a indústria 4.0 não é uma realidade distante. Empresas inovadoras devem iniciar a transformação com antecedência, para antever possíveis gargalos que impeçam sua adaptação.

E a sua empresa, já começou a se adaptar? Assine nossa newsletter e saiba como agilizar esse processo!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *