Gestão da produção industrial: 6 atitudes essenciais para otimizar seus processos

A gestão da Produção Industrial é uma área que se ocupa em organizar os processos produtivos para extrair o máximo de eficiência. O avanço tecnológico tem proporcionado a  integração de diversos fluxos de fabricação para alcançar este objetivo, bem como para obter maior qualidade. 

Esta atividade é estratégica na indústria, já que conecta fatores administrativos e necessidades materiais. Este quesito é  praticamente obrigatório no cenário atual, pois o alinhamento entre as operações e os objetivos da empresa fortalece o negócio e impulsiona a competitividade no mercado.

Assim, o equilíbrio se faz necessário para aumentar a produtividade, reduzir custos e controlar os processos, a fim de atingir a qualidade desejada. Entenda as atribuições da área de gestão da produção industrial no nosso post e sua importância para garantir a realização dos processos . 

As  funções da gestão da produção industrial

Planejamento

O planejamento dentro da gestão da produção industrial é um dos pontos de partida para otimizar o fluxo de trabalho e as operações. Para isso, é importante realizar o mapeamento de todos os processos da indústria, indicando as entradas e saídas de maneira objetiva. 

Para executar esta etapa, são consideradas etapas produtivas, dispostas em fluxogramas ou outras formas de fácil visualização do panorama do chão de fábrica. Assim, as ferramentas permitem identificar possíveis falhas, etapas redundantes e outros problemas. 

O planejamento deve estar alinhado aos objetivos da empresa, tanto em relação à qualidade como à produtividade. 

  • Identifique as atividades do processo de produção e os responsáveis  e técnicos de cada área;
  • Classifique e estruture os processos por ordem de importância, de acordo com os objetivos da empresa;
  • Determine o ponto de partida e resultados de cada etapa, bem como o grau de detalhamento das informações relativas ao processo industrial;
  • Valide o mapeamento dos fornecedores, entradas, processos e saídas;
  • Analise os processos para identificar falhas no esboço e avaliar os indicadores de resultados;
  • Considere imprevistos como falta de insumos, atrasos, insuficiências, entre outros problemas para o andamento das atividades;
  • Faça propostas de modificações para otimizar processos e minimizar possíveis desperdícios; 
  • Compartilhe o mapeamento com toda a equipe e receba contribuições antes de torná-lo definitivo. 

Execução e controle

Acompanhar a execução das tarefas e realizar o controle dos processos são atividades importantes dentro da gestão da produção industrial. É esta a área responsável por identificar as falhas do processo, reconhecê-las e encontrar mecanismos para corrigi-las. 

Nesta etapa, é importante que os colaboradores estejam alinhados quanto às técnicas e métodos de trabalho para controlar as causas de falhas. Isto é necessário para manter a qualidade dos produtos. 

Além disso, identificar os gargalos na produção e solucioná-los é essencial para manter a produção constante e também evitar paralisações e desperdícios. Utilizar o mapa de processos e conhecer o planejamento industrial é fundamental para definir planos de ação

Os colaboradores envolvidos com este leque de tarefas ainda precisam acompanhar as entradas e saídas de recursos e materiais para atender adequadamente às demandas. 

Monitoramento

A atividade de monitoramento da produção reúne três procedimentos fundamentais para apoiar a manutenção das máquinas e dos processos. Elas possuem a finalidade de melhorar a qualidade do produto final: 

  1. Inspeção permanente na fonte, ou seja, no processamento e na sua padronização;
  2. Ações preventivas para evitar interrupções bruscas, defeitos e recorrência de problemas na linha de produção;
  3. Melhorias contínuas dos processos e produtos, através de padronização e metas a serem seguidas; 

Tudo isso importa para que a indústria chegue o mais próximo possível do “defeito zero”. Aplicar metodologias como Six Sigma ou Lean Manufacturing podem ajudar a alcançar este objetivo, já que esta é uma meta importante a ser buscada. 

Os indicadores de desempenho (KPIs) são parte essencial para fazer esta avaliação. É por meio deles que os gestores compreendem o uso dos recursos e a necessidade de correção de alguma etapa produtiva. 

Além disso, os KPIs tornam perceptíveis as alternativas estratégicas e oferecem subsídios para uma melhor tomada de decisão. 

Atribuições de um gestor de produção 

O gestor de produção deve estar preparado para entender e administrar cada uma das etapas de produção. Isto é necessário porque sua posição é estratégica e determina o sucesso da produção. 

Para fazer a gestão da produção industrial ele deve:

  • Escolher as tecnologias mais adequadas; 
  • Escolher os fornecedores, as matérias-primas até sua expedição;
  • Gerenciar operações;
  • Acompanhar os sistemas de produção;
  • Coordenar os colaboradores na linha de produção;
  • Supervisionar todas as etapas do processo;
  • Organizar a manutenção, quando houver necessidade. 

Todas estas dinâmicas permitem ao profissional encontrar meios para melhorar a linha de produção, as fases do processo e a estrutura geral. Dessa forma, ele se torna responsável pela qualidade dos produtos oferecidos pela empresa.

Ainda, como o gestor conhece todo o procedimento operacional e estratégico, pode implementar medidas para redução de custos e aumento de eficiência

6 atitudes essenciais para otimizar os processos

1. Aplicar ações preventivas e corretivas

Ações de prevenção de problemas muitas vezes são vistas como custos. Porém, na verdade, elas ajudam a evitar prejuízos mais sérios. 

Os ciclos de manutenção preventiva são necessários para manter a atividade industrial funcionando de maneira constante. Isso ocorre porque evitam a parada brusca de máquinas e interrupção na produção, o que acarreta em atrasos nas entregas e insatisfação dos clientes. 

Isto também ajuda a evitar desperdícios, tanto de materiais, como tempo e dinheiro. 

2. Buscar melhoria contínua

Periodicamente, a sistemática que envolve os produtos e processos de uma empresa precisa ser reavaliada. Isto se justifica não só porque métodos mudam para fornecer mais eficiência, como também as tecnologias mudam para este mesmo objetivo.

Desta forma, buscar melhor desempenho e renovação dos padrões é o ideal. Para isso, você pode utilizar constantemente o método PDCA:

  • Planejar; 
  • Executar;
  • Controlar; 
  • Agir corretivamente. 

3. Organizar os dados

Não existem dúvidas de que as informações relativas ao processo industrial precisam ser acessíveis aos envolvidos no processo. Entre as informações coletadas, pode-se listar alguns exemplos como: 

  • Produção;
  • Estoques;
  • Finanças;
  • Prazos;
  • Indicadores. 

Além do alinhamento entre os colaboradores e as metas da empresa, estes dados podem oferecer embasamento para mudanças e aperfeiçoamento do processo produtivo. 

Esta tarefa pode ser possibilitada por meio de softwares de planejamento e gestão industrial. 

4. Treinar a equipe

Promover o treinamento e a capacitação da equipe para executar tarefas e operar máquinas de maneira adequada é essencial para a produtividade. Os retornos para a gestão empresarial são grandes, pois torna seus colaboradores aptos a tomarem decisões rapidamente e de maneira correta. 

5. Fortalecer a gestão de produção

Através da descentralização de tomadas de decisão, o dia a dia da empresa se torna mais dinâmico. Isto é positivo porque cada um dos seus gestores pode focar nas suas atividades estratégicas, e o alto escalão da empresa também pode se manter ocupado com outros objetivos. 

Além disso, a descentralização faz com que gestores de diferentes setores se empoderem, cresçam e tragam resultados positivos como capacidade de liderança.

6. Estar atento a inovações 

A tecnologia tem avanços contínuos de produtividade e eficiência. Por isso, é imprescindível que os profissionais da área estejam atentos às novidades do mercado que podem ser aplicadas ao seu ramo de atuação. Isso porque, é possível garantir melhores resultados ao implementar novas ferramentas no setor produtivo. 

Tecnologias como softwares de gestão, como APS e MES, que favoreçam coleta de dados e automatização de processos podem influenciar diretamente nos resultados. Pois ajudam a integrar setores e máquinas entre si, para que a comunicação seja facilitada e eficiente. 

Se você deseja conhecer melhor as soluções de manufatura oferecidas pela Dassault Systèmes, assine nossa newsletter! 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *