Construtora Sulbrasil leva mobilidade ao canteiro de obras e aprimora sua gestão

case-sulbrasil-mobussEmpresas do setor de construção civil têm em comum alguns grandes inimigos a serem enfrentados: os altos custos de materiais, os elevados índices de desperdício e o retrabalho no canteiro de obras. Na Sulbrasil Engenharia e Construções, o cenário não é diferente, mas estes desafios têm sido encarados de frente e superados com a ajuda de uma tecnologia que leva mobilidade aos seus canteiros de obras.

A solução que auxiliou a construtora a aprimorar seus processos de gestão é o Mobuss Construção, desenvolvido pela Teclógica e rodado em smartphones e tablets. Com ele, a produtividade, a qualidade e até a assistência técnica posterior à entrega dos empreendimentos foram otimizados e, como consequência, a Sulbrasil já observa relevantes benefícios, como maior economia e redução de retrabalho.

“Hoje podemos trabalhar com o conceito de obra planejada. Com a mobilidade propiciada pelo aplicativo, obtivemos maior subsídio e maior agilidade para a tomada de decisões estratégicas e operacionais. Vemos no Mobuss Construção um grande diferencial, que vem sendo utilizado inclusive pelo nosso departamento de vendas”, observa o diretor-presidente da Sulbrasil, Adalberto José da Silva. “Muitos clientes, ainda na etapa de vendas para tratarmos a execução de determinado empreendimento, manifestam extrema curiosidade quando mencionamos o uso da solução móvel e nos pedem para apresentar detalhes”, revela.

O serviço contratado pela Sulbrasil junto à Teclógica contempla três módulos. Os dois primeiros que foram implantados – Apontamento de Produção e Qualidade & Inspeção – permite conferir às obras, respectivamente, melhor produtividade em consonância com os índices de mão-de-obra previstos no orçamento e a identificação de não conformidades.

“Os benefícios que observamos são todos qualitativos. Temos indicativos de melhorias na gestão de custos, planejamento, orçamento, recursos humanos e qualidade. Destacamos uma melhor organização  das equipes de produção, atualização do orçamento executivo, redução das perdas, ajustes e reprogramação das atividades, precisão da análise do custo da mão de obra e redução do retrabalho em até 50% das horas”, ressalta a engenheira Auriciane Fachini, gerente do setor de Planejamento, Produtividade e Controle da construtora.

O módulo de Qualidade & Inspeção, atualmente aplicado em sete obras, passou a ser utilizado diante da necessidade de otimizar o processo de inspeção, detalhamento das não conformidades através de evidências (fotos), eliminação de  papéis e arquivamento posterior dos mesmos e, inclusive, a máquina fotográfica que funcionários tinham de carregar junto nos locais de inspeção. “Passamos a obter um melhor controle das vistorias dentro do canteiro de obras. É essa pronta identificação das não conformidades que reduz o retrabalho, auxiliando os gestores da obras na melhoria continua”, detalha Auriciane.

O terceiro módulo implementado, de Assistência Técnica, também já trouxe uma relevante melhoria de processos no subsídio que dá às construções  executadas pela SulBrasil. Por meio dele, obtém-se total controle do fluxo de solicitações para identificar e solucionar em tempo reduzido problemas relatados após a entrega da obra. Um colaborador é deslocado para o local, faz a avaliação e já observa a necessidade de reparo em conformidade com a garantia e o manual do usuário.

Na posição de diretor-presidente da Sulbrasil, Adalberto observa que a adoção deste procedimento alinhado com a tecnologia disponibilizada são fatores indispensáveis para despertar a confiança em clientes e outros stakeholders envolvidos no setor de construção civil. “Atualmente, o módulo de Assistência Técnica tem sido empregado em dez empreendimentos entregues  nos últimos três anos. A agilidade com que damos as respostas para eventuais reclamações tem impressionado os agentes financeiros das obras, que abrem canais de relacionamento com o comprador e nos acionam, dependendo do caso. Este pronto atendimento gera credibilidade no mercado”.

Além da tomada de ações efetivas para a máxima qualidade e produtividade, a adoção da tecnologia também tem um viés sustentável e econômico. Segundo levantamento interno, a economia de papel por obra é de quatro resmas (duas mil folhas) em comparação com o período anterior ao uso da tecnologia.

Em 2014 a construtora pretende utilizar o sistema em sua plenitude. Para o segundo trimestre, o plano é introduzir o módulo de Segurança, a fim de controlar os equipamentos entregues, realizar os treinamentos e registrar o fluxo do DDS (Diálogo Diário de Segurança) entre mestre de obras e funcionários. Também para este ano a construtora pretende utilizar a plataforma de Controle de Materiais, outro componente do Mobuss Construção cujo objetivo é documentar solicitações, aprovações e entregas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *