Afinal, o que é Custo Total de Propriedade (TCO)?

Afinal, o que é Custo Total de Propriedade (TCO)?

O Custo Total de Propriedade (TCO – Total Cost of Ownership) é um assunto de extrema importância no desenvolvimento da infraestrutura de TI, no processo de governança e no Retorno do Investimento (ROI), que impacta diretamente na redução dos custos e na qualidade superior final dos projetos.

Sobre o Custo Total de Propriedade

  • É uma medida para reduzir custos e de aproximação no gerenciamento;
  • Evidencia que a manutenção tem o maior o custo de soluções;
  • É essencial para gerenciar o valor de cada negócio de TI;
  • Envolve processos, pessoas, tecnologia, tais como suporte de TI e ao usuário final, hardware e software, entre outros.

É muito importante lidar com esse tema, pois muitas vezes, um sistema de baixa qualidade pode custar muito caro, assim como o sistema mais caro, pode ser ineficiente para as reais necessidades do negócio.

Cada negócio é diferente do outro, e para quebrar os paradigmas que atrapalham o sucesso final, é preciso entender que o uso de um hardware precisa sempre estar alinhado ao modelo de negócio. Para isso, é fundamental utilizar dos melhores processos de governança e das práticas existentes no mercado.

Então, melhor comprar um hardware ou alugar um hardware?

Nem sempre comprar um hardware é a melhor escolha, e para fazer a decisão ideal é essencial analisar cada processo da infraestrutura na ordem certa e verificar quais são os principais requisitos que o sistema pede, além das necessidades do negócio.

O aluguel de hardware tem conquistado cada vez mais empresas adeptas, pois pode gerar uma grande economia na aquisição de itens fundamentais para o desenvolvimento do trabalho e também na assistência técnica e em serviços de manutenção. Além disso, os prestadores de serviços contribuem na redução de custo, já que não será necessário aumentar a equipe ou realizar treinamentos para o gerenciamento do hardware alugado.

Para ajudar na decisão:

Melhor comprar quando…

  • Não será necessário renovar o hardware com frequência;
  • Quando há equipe de assistência técnica interna;
  • Quando há capital de giro.

Melhor alugar quando…

  • Para as empresas com grande rotatividade de colaboradores;
  • Que tenham projetos temporários frequentes e necessidade de tecnologia de última geração;
  • Sem estrutura de TI e sem capital de giro;
  • Que precisam de agilidade na execução dos serviços.

 Como isso funciona na prática?

Imagine que a empresa X tenha um fluxo de atualização constante, ou seja, precisa trocar frequentemente de hardware. Qual seriam os benefícios ao alugar?

  • Soluções ágeis, suporte e redução de custo.

A empresa X do exemplo precisa trocar de hardware a cada 18 meses para atingir as necessidades de atualização e configuração especializada. O orçamento para a aquisição dos equipamentos causaria um grande rombo financeiro e, por isso, a decisão ideal é optar por alugar todo o hardware.

Com o aluguel, a empresa terá total suporte, e ao sinal de qualquer problema nas máquinas, a prestadora de serviços realiza o suporte necessário com soluções ágeis e economia notável, principalmente ao analisar o custo-benefício do serviço.

Equipe interna ou aquisição de serviços? Que tal um modelo híbrido?

As pessoas sempre serão essenciais nos projetos de TI, mas é possível reduzir custos e melhorar os processos.

Invista em serviços, permitindo que parte da equipe interna esteja completamente direcionada e focada para as tarefas fundamentais, que exigem as habilidades de cada uma delas.

Enquanto isso, os processos repetitivos e de qualidade podem ser acompanhados e executados por um equipamento que permite automação desses processos, por exemplo.

Vantagens do modelo híbrido:

  • Redução de custos;
  • Otimização do trabalho;
  • Qualidade final superior, já que a empresa conta com o talento interno e também com soluções especializadas que prestam serviços;
  • Solução e suporte rápido;
  • Retorno do investimento, afinal, o modelo é um dos mais interessantes para o setor, pois enquanto investe de um lado, reduz de outro.

É fundamental separar as necessidades das vontades do negócio, pois, só assim o Custo Total de Propriedade é otimizado e você evita gargalos no resultado final ou na manutenção dos projetos de TI.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *