7 deveres de um advogado corporativo

É fato que a função de um advogado está inevitavelmente atrelada a questões legais e judiciais. Contudo, os deveres de um advogado corporativo de hoje vão além disso.

É preciso, por exemplo, ampliar a visão de negócios, preocupar-se com aspectos de outros setores e desenvolver novas habilidades. Esse profissional também tem uma função crucial: agir estrategicamente e de forma alinhada com os objetivos da empresa.

Pensando nisso, separamos os principais deveres que um advogado corporativo deve ter. Confira!

Funções e deveres do advogado corporativo

  1.  Expandir as áreas de conhecimento

No campo jurídico, a adaptação às inovações e às tecnologias é essencial para superar as práticas burocráticas e obsoletas. Nesse sentido, é importante o advogado corporativo se preparar para se tornar um profissional disruptivo.

Também é fundamental que o advogado amplie seus conhecimentos para além do conhecimento técnico. Fazer cursos em outras áreas, desenvolver novas habilidades, conhecer as tendências tecnológicas e ter competências emocionais são alguns exemplos de conhecimentos jurídicos que o advogado corporativo deve desenvolver.

  1.  Solucionar problemas

Como sempre se deu dentre os deveres de um profissional do Direito, uma função primordial é solucionar problemas jurídicos, resolver pendências e assegurar os direitos da empresa. Além de estar preparado e ter planos para crises e oferecer tranquilidade ao empreendedor.

Esse continua sendo um de seus papéis, mas não o único. Além disso, uma boa dinâmica e a criatividade na solução de problemas e desafios no dia a dia da empresa são requisitos fundamentais.

  1.  Agir preventivamente

O advogado corporativo dos dias de hoje deve também atuar de modo preventivo. Ou seja, deve evitar que problemas venham a ocorrer e impedir riscos e prejuízos futuros. Para isso, deve entender o negócio de modo mais amplo, para além da área especificamente jurídica.

Estudar o mercado em que a empresa atua, o público e suas demandas, as necessidades e os objetivos organizacionais, entre outros aspectos, permite que o advogado atue preventivamente nas operações.

  1.  Participar das estratégias da empresa

Também é função do advogado corporativo participar ativamente das estratégias da empresa. Ele deve estar alinhado com as metas e os objetivos organizacionais, atuando de forma a atender as necessidades do negócio. Pensando em aumentar a produtividade dos departamentos, reduzir custos e otimizar processos.

Aqui é importante pensar na escalabilidade das empresas e nas melhores formas para aumentar os resultados e se preparar para o futuro. Para isso, o advogado pode, por exemplo, analisar as tendências de mercado, trazer recursos (como sistemas jurídicos e softwares de gestão), entre outras ações.

  1.  Orientar nas tomadas de decisão

O advogado corporativo deve ser mais estratégico que operacional. Pode-se arriscar dizer que até mesmo mais empreendedor do que jurídico. Isso porque também é seu dever orientar os empresários a tomarem as melhores decisões. Para isso, é preciso ter conhecimento do negócio como um todo bem como da concorrência.

É importante entender, por exemplo, de questões financeiras, contábeis, administrativas e de marketing. O advogado deve auxiliar, inclusive, na criação de produtos e lançamento de campanhas. Assim, é possível agir com estratégia e evitar que alguma ação prejudique a imagem da empresa.

Quando o empresário precisa tomar uma decisão importante, o advogado corporativo também deve avaliar os impactos da ação, as possibilidades de efeitos negativos e a viabilidade de determinada operação.

  1.  Prestar suporte em reuniões e negociações

Para orientar nas tomadas de decisão e atuar nas decisões estratégicas da empresa, o advogado deve participar de reuniões e negociações. Dessa forma, é possível analisar as leis relativas aos acordos da empresa, avaliar a viabilidade de novos negócios e criar ações que integrem os demais departamentos.

Ao prestar suporte em relação aos benefícios ou prejuízos de novas operações, é possível conduzir estrategicamente as negociações. Consequentemente, a garantia de sucesso e crescimento dos negócios é maior.

  1.  Ser interlocutor

Outro dever do advogado corporativo é desenvolver habilidades de comunicação. Isso porque a área jurídica faz a interlocução com diversos setores da empresa. Portanto, uma comunicação assertiva, um bom relacionamento com os demais departamentos e uma atuação que busca o alinhamento em todas as áreas da empresa são deveres fundamentais.

Portanto, notamos que o advogado corporativo deve contextualizar e adaptar seu saber jurídico para atender as necessidades do universo empresarial e trazer resultados efetivos.

Para se aprimorar ainda mais na sua carreira, continue acompanhando nosso blog e seja um advogado com diferenciais em sua empresa!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *