5 ferramentas para ajudar a medir o desempenho de TI

A importância de medir o desempenho de TI pode ser calculada de acordo com os prejuízos que uma empresa pode ter quando ocorrem falhas. Um sistema fora do ar, por exemplo, pode implicar uma série de reclamações e danos à imagem da organização — dependendo do serviço prestado, gera até multas! Logo, a preocupação com o gerenciamento de TI deve ser levada muito a sério para evitar insatisfações nos negócios.

Quando o desempenho é mensurado continuamente, o principal ganho é a prevenção de que todos os equipamentos estarão operando regularmente, possibilitando à equipe de Service Desk se antecipar às possíveis falhas.

Existem ferramentas apropriadas para medir o desempenho de TI por meio de diferentes métricas, que possibilitam um maior controle sobre tudo o que acontece em relação à infraestrutura de TI. Porém, mesmo com essas ferramentas, dificuldades para gerenciar a infraestrutura — como o acúmulo de servidores — e os custos de TI ainda são realidade para muitas empresas.

Sabendo da importância de medir o desempenho de TI, listamos 5 ferramentas que vão ajudá-lo a fazer isso na sua empresa. Confira!

1. Nagios

O Nagios é uma das mais populares aplicações para monitoramento — segundo a própria empresa, são mais de 1 milhão de usuários pelo mundo —, que conta com o código aberto (open source) como seu grande diferencial.

Isso porque, como muitos sabem, os programas em código aberto permitem que qualquer equipe ou especialista seja capaz de desenvolver a ferramenta, ou seja, uma empresa pode ter uma solução personalizada.

A função do Nagios é fazer o monitoramento 24/7 das redes (locais e remotas), detectando qualquer problema, falha ou indisponibilidade do sistema. Quando um problema ocorre, o Nagios prontamente emite um alerta via e-mail para que a empresa possa solucionar o ocorrido o quanto antes.

Há, também, um recurso para configurar ações para determinados problemas, o que economiza muito tempo e esforço para solucionar problemas menores, dispensando o deslocamento de um funcionário por conta de problemas que o próprio Nagios é capaz de resolver.

2. Trauma Zero

Trata-se de uma suíte de aplicativos que oferecem diversas soluções para que empresas possam medir o desempenho de TI, incluindo ferramentas para análise de desempenho e monitoramento. O Trauma Zero tem como principais características:

  • Baixo consumo de recursos;
  • Suporte multiplataforma;
  • Interface clara e intuitiva;
  • Geração de análises, relatórios e diagnósticos completos;
  • Recursos acessados em tempo real.

Com os seus módulos, é possível, por exemplo, criar um inventário automático de qualquer tipo de infraestrutura (servidores, dispositivos móveis, estações de trabalho e componentes de software); realizar suporte remotamente; automatizar configurações e instalações de softwares nos servidores ou estações de trabalho; entre outros recursos que possibilitam medir o desempenho de TI com eficiência.

Bônus: Guia completo para implantar um Service Desk na sua empresa

3. System Center

A plataforma System Center, distribuída pela Microsoft, é uma grande ferramenta para gerenciamento entre ambientes locais e provedores de serviços. Na versão 2012 do System Center, houve maior foco em soluções de cloud computing, e passou a ser possível a utilização de uma nuvem privada da Microsoft para reduzir custos de datacenter e aumentar a agilidade de gerenciamento. Dentre os principais recursos do System Center, estão:

  • Monitoramento e provisionamento de infraestrutura;
  • Gerenciamento de serviços de TI;
  • Monitoramento do desempenho de aplicativos;
  • Automação e autoatendimento;
  • Integração com outros pacotes de serviços Microsoft.

O fato de ser um produto da Microsoft sem dúvidas deve pesar muito na decisão das empresas ao implementar soluções para gestão, monitoração e virtualização de infraestrutura. Trata-se de um suporte que oferece resiliência e alta disponibilidade, ou seja, o sistema é capaz de se recuperar de eventuais problemas, não importando o nível de gravidade.

4. OCS Inventory

O OCS Inventory é um sistema de informações sobre o inventário, isto é, que coleta dos servidores informações sobre hardware/software que são apresentadas em relatórios completos. Por outras palavras, a ferramenta gera relatórios das máquinas.

Assim como algumas das ferramentas citadas anteriormente, o OCS Inventory é um software open source, baseado em tecnologias de servidores e banco de dados com grande reconhecimento de mercado, como o banco de dados MySQL e o servidor web Apache.

Nos quesitos de desempenho, pode-se destacar o OCS Inventory como um sistema multiplataforma de fácil implementação e que, mesmo sendo capaz de produzir cerca de 1 milhão de inventários por dia, não sobrecarrega os computadores e demanda pouca largura de banda.

E para simplificar ainda mais sua usabilidade, a administração do sistema é feita sob interface Web — basta utilizar um browser para acessar o sistema a partir de qualquer dispositivo, seja ele mobile ou não.

5. OTRS

Utilizado por milhares de empresas ao redor do mundo, o OTRS é uma ferramenta open source voltada para serviços de Help Desk e gerenciamento de serviços de TI, muito recomendada para o gerenciamento de processos dos negócios e equipes de call center. Como os sistemas OTRS são desenvolvidos para dois tipos de serviços, ela é subdividida em módulos: Help Desk e ITSM.

Para as empresas, a grande vantagem do OTRS Help Desk são os relatórios centralizados e a monitoração de solicitações automatizadas, que permite uma análise de desempenho mais consistente, otimizando o gerenciamento de incidentes e o cumprimento das requisições. Com relação aos tickets, eles podem ser direcionados para grupos de atendimento distintos (conforme suas especializações), com priorização baseada em criticidade, impacto e prioridades.

A ferramenta pode ser operada em ambiente web por meio de browsers e possui seu código fonte aberto, o que consolida o OTRS como uma ferramenta que, mesmo sendo robusta e estável, é bastante viável financeiramente (por ser um software livre) e pode ser customizada para o melhor uso das organizações, sem a necessidade de licenças de uso.

Além disso, o OTRS tem suporte profissional (inclusive no Brasil), está disponível em português e outros 32 idiomas e pode ser integrado a vários sistemas de autenticação, inventários, tickets e ERPs.

Muitas opções e baixo custo

São muito vastas as alternativas de software disponíveis no mercado para medir o desempenho de TI, e a customização dos sistemas é um atrativo disponível na maioria das ferramentas sitadas acima.

Além disso, a gama de informações oriundas destas ferramentas facilitam muito o dia-a-dia do gestor de TI dentro de qualquer que seja o cenário que ele esteja inserido. Obviamente, é necessário que essas informações sirvam para nortear as estratégias da TI dentro da organização. E, para isso, é necessário que o gestor de TI saia do âmbito operacional e se concentre totalmente à análise dos dados e as estratégias a serem traçadas.

Para isso, a menos que você conte com uma equipe de TI consistente, é interessante procurar no mercado fornecedores que auxiliem a gestão de TI. A expertise de especialistas irá agregar ainda mais a sua estratégia, tornando a sua área parte chave da organização.

Viu como é importante medir o desempenho de TI e como há boas ferramentas para te ajudar? Opine sobre o assunto! E se você quer ficar por dentro das novidades sobre infraestrutura e serviços de TI, assine nossa newsletter!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *